meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

11
Out 18

meus ouvidos são inúteis

já nem ouvem o correr da fonte

mas, meus olhos ainda olham

o sol a esconder-se no horizonte

o tempo despedaçou-me o rosto

sem dó nem piedade

sinto a melancolia p'la tarde ao sol-posto

e a emoção em mim se agita

desperta então a saudade

e desgovernada em meu peito gravita.

 

natália nuno

publicado por natalia às 14:33

Outubro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO