meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

25
Mar 15

 

unnamed (1).png

 

Absorta!

Numa nostalgia sem um queixume,

ouvindo o rumor do vento,

os ecos de choro dos salgueiros,

e memórias vindas nem sei de onde

germinando na mente

com imagens que já não alcanço

só meu coração as sente

e os meus sonhos as lêem,

a negritude me envolve

crepúsculo deste entardecer

ali bem na minha frente

o dia a desaparecer

e a minha imaginação

caindo no vazio

sem luz, sem norte

meu coração frio

vertendo a dor de cinzento

tal como meu alento

aguardando a morte.

 

natalia nuno

romã

 

publicado por natalia às 13:57

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.


Março 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
13
14

15
17
19
20
21

23
27

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
favoritos

o afastamento...

blogs SAPO