meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

26
Dez 14

 

14 - 1 (2).jpg

 

sinal de nada

tudo tão inquietante!

na mão da noite pela calada

um sentimento bem defenido

a saudade,

que segue a minha estrada...

 

o passado erguido, 

fico desabitada de mim

corro ao encontro do chamamento

ás recordações sem fim

ao profundo da memória

fica-me o coração a contento

perante mim as idades

da minha vida

desde o jogar ao pião

até à ameaça da solidão.

 

a infância gaiola dourada

o mel de flor da idade do amor

o fogo rubro da meia idade

agora horizonte de saudade

 

natalia nuno

 

 

publicado por natalia às 21:42

14 - 1 (2).jpg

 

trago um sonho inventado

pássaro que dorme em mim

na frescura da manhã

despertando meu silêncio,

trago-o do passado

promessa dum canto sem fim.

 

lendários os dias

tuas mãos macias

nas minhas entrelaçadas,

palavras doces apaixonadas

suspiros d'amor

sentimentos em flor.

 

feitiço de beijos,

no sonho me desejas,

acordo do sonho inventado

quando tu me beijas, e

este desmedido coração

entrega-se a ti com paixão.

 

natalia nuno

 

 

 

 

 

 

 

publicado por natalia às 21:11

21
Dez 14

14 - 1 (2).jpg

 

uma alegria estranha

vozes diluíem-se à distância

ecos ao longe, vindos da

infância...gente ordeira e

submissa, tocam os sinos

não se escolhe o destino

lá vão todos à missa.

 

é noite de Natal

grande paz, bulício de estrelas

música irreal, oração

origem da minha verdade,

verdade que não desejo perder.

 

do lado de cá da vida

a saudade...não quero esquecer!

uma noite fria,

a brisa fina e eu menina,

todos presentes... *agora ausentes*

são um todo real

nesta noite fria de Natal,

 

tudo envelheceu perdeu o encanto

e, o eco espectral leva-me a memória

às longínquas noites de Natal...que

eu ainda lembro tanto.

 

natalia nuno

 

 

publicado por natalia às 00:32

20
Dez 14

14 - 1 (2).jpg

 

meus olhos perdem-te de vista

no meu peito a saudade

lâmina que corta sem dó

que tortura sem piedade

quase à dor me ofereço

e padeço,

porque me sinto só.

 

sorri e chorei

sofri e amei

agora meus olhos sol não têm

lágrimas são vagaroso rio

a vida presa por um fio

e como se a dor fosse pouco

prende-me o coração

a este amor tão louco.

 

 

 

romã

natalia nuno

 

publicado por natalia às 15:59

18
Dez 14

14 - 1 (2).jpg

 

meu olhar é suplicante

a cada hora e momento 

assalta-me o desejo a cada

instante,

causando dor e tormento

faminta e obstinada

morrendo de desejo

de ti enamorada,

abandono-me ao ardor

do teu beijo,

de prazer e júbilo estremeço,

adormeço, acordo e recomeço

nosso amor é gigante

e eu tua mulher amante

 

rosafogo

natalia nuno

 

publicado por natalia às 22:33

14 - 1 (2).jpg

 

ternura que brota incessante

da inesgotável fonte do amor

afecto do fundo do coração

é sol que cintila mostrando fulgor

doce e louca ilusão...

tudo rodopia à minha volta

na memória mundo de recordações

pensamentos à solta

tantas sensações!

 

fragmentos do passado

que a memória ressuscita

e meu sonho agita,

o coração ansioso a bater

fá-lo renascer das cinzas

numa ternura enganosa

num melodrama sem fim

que interpreta o retrato de mim

 

natalia nuno

rosafogo

 

 

publicado por natalia às 15:28

09
Dez 14

14 - 1 (2).jpg

 

as lembranças quase perdidas

são aves distantes no poente

flores de outono, despedidas

que só meu coração sente

frágeis instantes...

lembranças, poemas rasgados

nos meus olhos cerrados

nos sonhos perdidos para sempre.

 

lembranças pássaros migratórios

uma hora vão outra hora voltam

na memória se soltam

numa imensa neblina,

folhas da memória

que me fazem voltar ao tempo

de menina...

 

natalia nuno

romã

 

publicado por natalia às 15:53

07
Dez 14

14 - 1 (2).jpg

 

num verso não cabe a minha

saudade

nem tão pouco nas palavras que

calo e que choro por dentro,

nem nos umbrais dos meus sonhos

fragmentos da minha vida,

e eu sinto-me uma ilhota perdida

 

num verso não cabe a minha

saudade

o silêncio é imensidade

é vazio onde choro

a tua ausência, e ignoro

minhas arranhadas memórias

o destino obscurecido,

o negro da noite desolada,

e eu menino perdido

dando gargalhada,

mais perdido ainda numa

lágrima resignada,

no horizonte dos sonhos

onde sou feliz às vezes

mergulho sem recomendação

só ouvindo o coração e esquecendo

a razão...

 

natalia nuno

romã

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por natalia às 19:59

18
Nov 14

14 - 1 (2).jpg

 

serei então tua

enquanto me quiseres

afecto que há muito nasceu

foi talhado no céu

prevalece no tempo

nasceu e cresceu

o destino o marcou

foi Deus

que assim destinou

 

romã

natalia nuno

 

publicado por natalia às 19:49

 

285371_475718655827850_1607644138_n.jpg

 

minhas mãos escrevem às cegas

os amores e desamores

nada tenho quando te negas

nada sou quando te fores

nada tenho pra desejar

a vida não é minha aliada

meu corpo só quer alcançar

ser tua coisa desejada...

irrompe esta saudade danada

nas minhas mãos sabedoria

desta vida que não me dá nada

e me atropela turbulenta

ah! meu Deus como queria

fugir do que me atormenta

 

no peito uma dor se aninha

na vidraça a chuva cai

goteja uma lágrima sozinha,

na minha boca...nem um ai!

 

romã

natalia nuno

publicado por natalia às 19:29

Dezembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO