meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

17
Dez 13

Entre boca e boca

um traço minímo

a distância é pouca!

Leio na palma da mão

que a vida é escassa

é breve a euforia,

o tempo passa.

 

Enquanto os corpos

se unem, entre a noite e o dia,

há uma força em nós ancorada

depois sinto-me senhora de tudo

e de nada...

na brevidade da noite

colhes-me com o olhar,

sinto-me amada.

 

Assim nas mãos do tempo

fica nosso amor

num júbilo maior...

 

romã

 

 

publicado por natalia às 20:11

Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
14

15
16
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO