meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

11
Out 18

havia flores no meu olhar

que o tempo amareleceu

ingénuas, em delírio

sempre a sonhar

na boca, cantigas tristes

que as estrelas escutavam

hoje nem os olhos, nem nem o luar

nem o sol que despontava

nem os sonhos que ao coração chegavam

nada, nada tenho pra me alegrar.

 

natalianuno

 

 

publicado por natalia às 14:44

meus ouvidos são inúteis

já nem ouvem o correr da fonte

mas, meus olhos ainda olham

o sol a esconder-se no horizonte

o tempo despedaçou-me o rosto

sem dó nem piedade

sinto a melancolia p'la tarde ao sol-posto

e a emoção em mim se agita

desperta então a saudade

e desgovernada em meu peito gravita.

 

natália nuno

publicado por natalia às 14:33

08
Out 18

22813955_960022824152641_5611264833423611194_n.jpg

morre o sol na minha face
acabou-lhe com o sorriso em botão,
ensombrecem os verdes do olhar
quando à noite na escuridão
nem teu abraço, para m' enlaçar
este anseio que cresce e se apodera
de mim, é como febre que queima
e que a todo o momento teima
sussurrar-me como uma prece
... o teu corpo ainda tem asas!
e logo a saudade aparece
e se cruza no meu peito,
tudo volta a ser meu por direito
o sol nasce a meio da noite
coloco o sonho na almofada
e quero por ti ser amada...
 
mas a vida sem sonhar... deu em nada!
 
natalia nuno

 

 

publicado por natalia às 17:35

Outubro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO