meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

25
Jul 15

cartão namorados vintage 2.png

 

momentos sem ti

sinto bater o frio, ou de esperança 

tremi?

até a noite se esconde

ao ver-me esperar-te

e meu coração é como um cão cego

a chamar-te

sigo errante, dói na memória

lembrar-te

já não é límpida a minha visão

já meu mundo está perdido

só trago na lembrança

um sentido...o de amar-te

guardado como milagre

trago esse amor na minha saudade

ao recordar-te...

uma tremura na pele

e uma estranha inquietação

na folha de papel.

 

natalia nuno

 

 

publicado por natalia às 17:16

17
Jul 15

7zd.jpg

 

 

o fim do dia

sabe-me sempre a despedida,

a beleza está na chegada

na desmedida alegria

da alvorada,

- e não na partida!

 

há muito cheguei

deixo pedaços de mim

na bagagem levarei

coragem e sonhos sem fim.

depois de ter partido!?

ficará a marca dos meus passos

a ausência dos abraços

um século da minha vida,

e a minha força represada na poesia ...

será mais um fim de dia

com sabor a despedida.

 

natalia nuno

 

 

 

 

 

 

publicado por natalia às 15:26

15
Jul 15

images (10).jpg

 

és meu vício...

 

és sol que me aquece
trazes de calor as mãos cheias
teu olhar manso lago
onde meu sonho adormece
razão do meu poema,
hoje és o meu tema!
me entrego a ti insaciada
nesta embriaguês que sinto
neste desejo de ser beijada
nestes versos que não calo
de repente, nada me segura
e docemente
com loucura,
tomo conta da tua boca
louca...sentidos agitados
por teus beijos viciada
sinto, meus dias dobrados
e no cume deste prazer
me deixaria morrer...

 

natalia nuno

 

publicado por natalia às 18:18

10
Jul 15

 

Cristin_Atria.jpg

 

 

há pássaros ocultos na minha solidão

enrugam meu rosto enquanto

repito palavras aprendidas,

e assim meus versos são

ilusões vividas, felicidade ou

esquecimento da realidade

fugacidade do tempo

que me leva ao esquecimento.

já tudo foi ontem

na minha ideia emsombrada

corre um fogo indolente

donde saio pinha queimada

tudo em vão...

e os meus versos o que são?

velhas sabedorias, onde não

se retorna, nem por piedade,

fica o vazio dos meus passos

a solidão obstinada e fria, a saudade

da prisão dos abraços d'algum dia.

assim a noite se desvia entre a sua magia

eu colho sonhos.

 

 

natalia nuno

 

 

publicado por natalia às 21:32

Julho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
16
18

19
20
21
22
23
24

26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO