meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

18
Nov 14

14 - 1 (2).jpg

 

serei então tua

enquanto me quiseres

afecto que há muito nasceu

foi talhado no céu

prevalece no tempo

nasceu e cresceu

o destino o marcou

foi Deus

que assim destinou

 

romã

natalia nuno

 

publicado por natalia às 19:49

 

285371_475718655827850_1607644138_n.jpg

 

minhas mãos escrevem às cegas

os amores e desamores

nada tenho quando te negas

nada sou quando te fores

nada tenho pra desejar

a vida não é minha aliada

meu corpo só quer alcançar

ser tua coisa desejada...

irrompe esta saudade danada

nas minhas mãos sabedoria

desta vida que não me dá nada

e me atropela turbulenta

ah! meu Deus como queria

fugir do que me atormenta

 

no peito uma dor se aninha

na vidraça a chuva cai

goteja uma lágrima sozinha,

na minha boca...nem um ai!

 

romã

natalia nuno

publicado por natalia às 19:29

14 - 1 (2).jpg

 

de mim a ti silêncio mudo

entre a manhã e o anoitecer

- meu bem sem te ver...

passa o tempo e é tudo,

o que o tempo gera,

silêncio e lágrimas

que a saudade me trouxera

d'outros tempos ditosos

de primavera

para deles me lembrar

e nos olhos uma doçura pôr

ao recordar nosso amor

 

de tudo...tudo!

resta este silêncio mudo!

nada mais pra te dizer

o tempo é sábio

ele fará acontecer.

 

romã

rosafogo

 

publicado por natalia às 13:32

17
Nov 14

14 - 1 (2).jpg

 

meu peito anarca

é um aberto jardim

flores fascinantes

festim de primavera

meu corpo em ânsia

pelo teu espera

colo-me à tua pele

suave,

provocando tua vontade

consolando minha saudade

e até tarde

sacio-me e tudo é devaneio

fico flor com vida

meu peito cheio

jardim de esperanças

 

sonho insaciado

das minhas lembranças

 

romã

publicado por natalia às 15:58

14 - 1 (2).jpg

 

é um adorno, nada mais,

a rosa que trago ao peito

ninguém sabe, ninguém toca

só beijos da tua boca

sente-a com as mãos

é rosa que colheste e

me ofereceste

para ao peito pousar

quando um abraço me deste

e me falaste do teu amar

hoje a rosa,

ainda traz a vida a pulsar

 

no regaço as pétalas caídas

de saudade estremecidas

e nestas linhas caladas

há lembranças, e lágrimas

rolando pela face

há coisas de amor eternizadas

passe o tempo... o tempo passe

 

 

 

romã

 

 

publicado por natalia às 15:57

14 - 1 (2).jpg

 

nuvens transparentes, macias,

tantas invenções quiméricas

sonhos de todos os dias

sentimentos esquecidos

angústia, solidão,

pobre coração!

 

sem ti,

não há existência para mim

sem amor, como viver assim?

o céu está suave e apaziguador

minha memória em delírio

sentir do teu corpo o calor,

- estranho ardor...

sonhar no mais fundo do teu olhar

decifrar teu semblante,

aprisiona-me este instante,

quantas vezes ressuscito

para viver...com prazer?

o relógio continua a pulsar

meu coração vigia

acreditando recuperar

instantes felizes...

utopia!

 

romã

natalia nuno

 

publicado por natalia às 15:08

16
Nov 14

14 - 1 (2).jpg

 

vem para mim sem hora

de regresso

clamo aos céus por este

momento

nada mais peço

que ir mais além

nos sonhos

neste silêncio onde só tu

podes entrar

sem caminho de regresso

vem para mim

recordar outras primaveras

restaurar o tempo perdido

num presente sem fim.

ao meu amor rendido.

 

romã

natalia nuno

 

 

publicado por natalia às 21:23

14
Nov 14

14 - 1 (2).jpg

 

sentei-me na margem

com tristeza fluente

e o rio deslizava indiferente

olhei-o interrogando

o porquê da sua ansiedade

e a minha tristeza

era só saudade...

não há como escapar

nem vale pedir ajuda

que ninguém se iluda

pouco ou muito para andar

meu corpo se perde

já nada me move

sentei-me na margem

verde, verde...

de esperança

que meu olhar comove.

 

romã

publicado por natalia às 22:40

14 - 1 (2).jpg

 

Ar sombrio

rugas melancólicas

esgotada, amarga

gosto ou não gosto de mim?

Tudo é tão esmagador

mal consigo adivinhar

quem sou

aquela que amou,

a que sorrio, chorou

os anos foram desbotando

meus dias sem memória

e cá dentro calando

no mais fundo do coração

a saudade das coisas que amei

com paixão...

tudo desmoronando

a sombra em mim derramando

os anos apagaram-me lentamente

com altivo desdém

na palavra exacta não sou

ninguém.

 

romã

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por natalia às 22:37

14 - 1 (2).jpg

 

amor pássaro afoito

em céu aberto

num vôo incerto

 

amor sol do meio dia

aquece o corpo inteiro

incandescente passa ao

sol-pôr que enternece,

e se arrefece

p'la tarde já é sombra

fugidia...

 

amor tem arti (manha)

que sempre nos acompanha

 

amor pássaro cego

a ele me entrego

amor sinto-lhe o jeito

é sonho que guardo no peito

 

romã

 

 

 

 

publicado por natalia às 18:37

Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
15

19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO