meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

18
Out 13

são de vidro as palavras

feitas desejo e saudade

nelas te invento com loucura

insisto e não desisto

escrevo como  por magia

e nelas desvendo

este inquieto amor

aquele que sinto

na sofreguidão dos dias

na lentidão dos momentos

quando a tuas mãos

vagarosamente

 se entregam à descoberta

docemente.

 

 são de vidro as palavras

quando beijo a tua boca

quando o fogo se acende

e na entrega como louca

na sede que me provoca

ao teu, meu corpo se prende.

 

romã

 

publicado por natalia às 14:36

17
Out 13

porque te amo

rebentam flores nos meus dedos

porque te amo

escrevo umas linhas de amor

na lucidez da saudade

sinto da vida o fulgor

e a felicidade...

é desmedido este amor por ti

é real esta ventura

que canto nestes versos de

improviso

por amar-te tenho medo

que o tempo se gaste

por querer-te tenho medo

que o tempo de mim te afaste.

 

só tu podes dizer-me

que nosso sonho é verde e

na próxima primavera

haverá malmequeres,

tão certo,

como ter certeza que me

queres...

 

romã

publicado por natalia às 00:04

16
Out 13

nosso amor já não é só anseio

é fruto maduro,

é semente onde o sonho

germina

é vento perfumado que sopra

é o meu amor de menina

é flor dum só jardim

é brasa rubra

que não apaga até ao fim

nosso amor é um tesouro

supremo

é infinita primavera

que sempre me espera

como espero o sol do novo dia

ou a cálida tarde de verão,

 

hoje quero tocar-te o coração.

 

romã

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por natalia às 23:49

15
Out 13

nosso amanhã é um mistério

para quê o anseio?

deixa o destino correr

como pássaro no ar

deixa o olhar

voltar a ver

um dia claro feito ternura

o esplendor sereno do pôr do sol

o milagre de mais um dia

olhar a terra que tudo cria

haverá um novo abril

se abrirão nos campos

flores mil

estaremos um do outro

sempre por perto

num idílio certo.

 

romã

publicado por natalia às 00:07

14
Out 13

é isto meu amor

a verdade verdadeira

amando esqueceremos a vida

o tempo passa e me leva

já por aqui correu a alegria

mas a vida é ironia

ontem alegre

hoje triste

amanhã contente como outrora

se desejo tiveres

e se assim o quiseres

fala-me do sonho

do peito que me sente

faz-me sentir gente.

 

deixa que te olhe enrubescida pelo amor

e eu não olharei outros olhos.

 

romã

 

publicado por natalia às 00:40

13
Out 13

se alguma vez pudesse

dizer-te o que não disse!

já só esquecimento e solidão

existem, apesar disso vivo,

as folhas caídas vivem ainda

caem mas a vida não finda

aí... a saudade faz anos

aqui dentro do meu peito

tudo é temporal

os olhos perdem o brilho

e às vezes são caudal

não escolho as palavras

escrevo-as ainda que pobremente

com elas sonho e sou o que sou

somente meu pensamento

é bailarino

em pontas de pés,

e cresce ao ritmo da minha mão

traz das ondas as marés

e o ruído vem do coração.

 

romã

 

 

publicado por natalia às 00:31

12
Out 13

trago nos olhos uma remota lembrança

e na memória um rio que empurra

o tempo

meu espírito navio que mareia

e não descansa

num mar sem retorno,

cego.

já nem imagino um sonho

pois a sonhar me nego.

 

de nada me cubro

apenas a placenta

em mim acenta

e ao rubro

o fogo que trago do berço.

 

romã

publicado por natalia às 00:05

11
Out 13

recolhe-se o trigo

e o vento é uma benção

as aves aguardam seu quinhão

com o olhar penetrante

nos ramos dos salgueiros

da margem do rio

imagem que doura o meu olhar

candidamente

que preenche meu vazio,

alegremente a tarde chega

o poente doura

e do amor chega a hora

a hora que enche nossas vidas

ficam as palavras quietas na boca

e as esperanças renascidas.

 

e o sol que dourou as espigas

ilumina o que em nós

não nasceu para morrer.

 

romã

 

 

publicado por natalia às 02:05

10
Out 13

voa a borboleta livre e leve

tal qual emerge o amor

do meu peito adormecido,

quieto,em silêncio...

 

despertou!

brilha, trazendo de novo

o teu calor

fecho os olhos

sinto-o doce

o silêncio quebrou,

como visita que em mim

se abriga delicadamente

sinto-me impelida

a amar-te novamente

 

o amor despertou

dá-me a tua mão

e cala a minha solidão

 

romã

 

 

 

publicado por natalia às 00:20

09
Out 13

não me importa

nem quero saber

das horas restantes

que falta viver,

quero o sonho antigo

que no coração ficou

porque ainda não parou,

não me importa o medo

nos olhos espantados

quero de volta minhas ilusões

quero cantar saudosas canções,

outros dias virão

nada apagará

a saudade no coração

 

 

não me importa nem quero saber

que o sonho é grande e irá crescer.

 

romã

 

publicado por natalia às 00:10

Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


23
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO