meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

07
Out 13

escrevo para quem não me lê

escrevo por que se move a minha mão

apesar do meu punho triste

meus dedos malditos

não escutam o coração.

à minha volta uma enorme confusão

ninguém lê

não sei bem porquê.

as palavras fazem ruido

talvez não tenham sentido

sejam só pavio sem  ideia

 

 

poesia é uma teia

embargada de ansiedade

que o coração teceu

e o meu querer acolheu

 

 

 

 

romã

contador de visitas
publicado por natalia às 16:34

poeta

rosa pálido desbotado

toda a ilusão se lhe desfez

à poesia abraçado

seu desnorte talvez,

talvez seja culpa da palavra

da palavra rendilhada

ou o dano seja do sonho

sonho tesouro do poeta 

do poeta estado de alma

que de raiva impotente

vai rindo amargamente

 

vai rindo atrevido,

vai amando e vai chorando

caminhando e recuando

cai aos pés dela rendido

 

romã

 

contador de visitas
publicado por natalia às 01:03

meu pesadelo é cinzento

neste outono que dói

provoca e corroi

ecos da minha alma

num sonho insaciado

feito de vento

que me afaga com cuidado


entre o sonhar e o acordar

cumpre-se a vida

num passo apressado

minha alma a nu

nada mais cru

 

 

romã

contador de visitas
publicado por natalia às 00:59

Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


26



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO