meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

24
Out 13

na garganta um nó

que não desata

não é de angústia,

talvez ansiedade?!

ou uma saudade resignada

que me fala da vida inteira

com ardor

e faz o favor

de ser minha companheira

fica à espera que eu entenda

que o passado é passado

só ela sabe quem eu sou

vai estar sempre a meu lado

em mim mora

a toda a hora, com pés

de veludo...

e eu... tão longe de tudo.

 

romã

publicado por natalia às 23:42

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


23
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO