meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

23
Fev 15

1451482_3656337985194_1487754428_n[1].jpg

 

a voz afogada

mergulhada num mar de solidão

a mente agitada

e o coração,

como se fosse de vidro,

um nó apertando no peito

cortando a respiração

sem sentido...

 

do tempo a ficar refém

com medo de quebrar..como se alguém,

quisesse silenciar memórias,

sozinha, do lado do deserto

o rosto inexpressivo sem idade

e a vida ali tão perto

tantas reminiscências,

tanta saudade...

sonhos que não voltarão a nascer

o tudo e o nada a razão de ser

para a vontade de viver.

 

natalia nuno

romã

 

 

 

 

 

 

 

contador de visitas
publicado por natalia às 15:38

Fevereiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13
14

15
16
18
19
20

22
24
25
28


mais sobre mim
pesquisar
 
favoritos

o afastamento...

blogs SAPO