meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

02
Jun 15

_.jpg

 

Nasci e cresci à beira rio,

trago em mim a intensidade do aroma da infância,

gosto dos mitos que envolvem a aldeia,

trago ainda a alma cheia

aqui se desenrolou o começo da minha já tão longa existência...

como singelas eram as coisas aprendidas no seio do
povo!


Agora? Nada de novo!


Palavras se perdem no vazio das horas,

esquecem-se velhas sabedorias 

da mais bela escola, a escola da vida...

ficaram a uma distância surda

nas vozes que já não se ouvem

a vida é isto, tudo muda.

 nasci olhando-me na água

onde o céu crescia 

e era bom o futuro que intuía

e hoje quando a noite entorna

a saudade, fecho os olhos

e deixo-me embriagar

pelo aroma que ninguém

me pode tirar...

 

natalia nuno

 

 

contador de visitas
publicado por natalia às 16:21

Querida Natália
Os aromas e sabores da infância são únicos e estão guardados num cantinho especial do coração onde ninguém tem permissão para entrar... só a saudade
Belíssimo poema minha amiga
E que lindo este seu cantinho. Encantada em passear por aqui desfrutando de suas soberbas palavras.
Uma ótima semana querida
Um super beijo
Gracita a 7 de Junho de 2015 às 23:21

Junho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
favoritos

o afastamento...

blogs SAPO