meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

18
Mar 15

15 - 1 (4).jpg

 

as palavras podem ser fogosas 

e cristalinas, escritas com o coração

tranquilas ou fugazes

capazes, de se soltarem da nossa mão

com vogais de cor

resolutas,

ao encontro do amor

são sementeira, grão a grão

crescem frescas em seu verdor

palpitam, crescem voam e sonham

fazem da folha branca seu chão

 

decididas, são guerreiras

às vezes frias labaredas

as primeiras, a encher o nosso tempo

surgem dos labirintos e veredas

murmuram a infância perdida

nos dedos da solidão

às vezes ciladas de aflição

na minha memória preterida.

 

natalia nuno

romã

contador de visitas
publicado por natalia às 18:51

Março 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
13
14

15
17
19
20
21

23
27

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
favoritos

o afastamento...

blogs SAPO