meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

06
Mai 15

 

df6f02ff41195f41345edde5f3090a61.jpg

 

inquietante poema de paredes brancas

onde procuro o rosto que não encontro

poema onde me sinto borboleta ferida

levada por um vento que não pára,

poema onde consta que já fui

e hoje é dor que não sara

o que sobra duma vida

 

poema onde me deixo pensativa

onde dou a mão à dor

pela tristeza acometida...

poema duma dor que sopra fina

e me traz a saudade de menina

e do tempo que agora apoucou

mal ela se descuidou

já tudo é passado

só a saudade a meu lado

me faz companhia

tal como esta poesia

que deixo no umbral do meu sonho.

 

natalia nuno

romã

 

contador de visitas
publicado por natalia às 23:09

Maio 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
22
23

24
25
26
27
28
29

31


mais sobre mim
pesquisar
 
favoritos

o afastamento...

blogs SAPO