meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

27
Jun 14

15 - 1.png

 

quando nasci

nasci sem vontade

pois o tempo começava aí

a roubar-me a idade

começava o ano

fazia frio

lá ía nascendo com a força

do rio

gritando magoada

com a voz ferida

entre o céu e a terra

não querendo nascer

já meia perdida

estranho o dia cinzento

e eu sem tamanho

sem nome

sem saber quem era

resolvi não querer

voltar à terra

subi uns degraus

voltei a descer

e meu coração batia de medo

então pra nascer ainda era cedo

daí a saudade do lugar donde vim

aí não tinha idade

nem memória de mim

 

romã

contador de visitas
publicado por natalia às 16:52

Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
14

17
18

22
24
25
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
favoritos

o afastamento...

blogs SAPO