meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

19
Ago 15

08152014_s2.png

 

 

as sombras fatigadas

dos velhos que sentem a idade

sem tempo

seus olhos despertam da obscuridade

e assim permanecem, sem esperança

escondendo-se nas saias da mãe

como em criança

são sombras impacientes

ofegantes, de gentes

que trazem no rosto o ardor da terra

sonhos vãos

e nas mãos, pouco ou nada

uma sede e um pranto

uma lamúria disfarçada

é pouco o que os nutre

de sempre ao agora

há sempre um abutre

chegado na hora...

palavras no esquecimento

e no pensamento a revolta

no coração as sombras nele engastadas

os passos cansados e na memória

dúvidas incendiadas...

flutuam como erva de verão

a felicidade adormecida na solidão.

 

natalia nuno

 

contador de visitas
publicado por natalia às 23:11

Agosto 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

16
17
18
20
21
22

23
24
27
28
29

30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
favoritos

o afastamento...

blogs SAPO