meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

13
Dez 13

ai se me entendesses sem palavras

como eu entendo o vento

o mar e as ondas a quebrar

se entendesses meu olhar

como os pássaros que me esperam

no estremecer das folhas

se entendesses o fogo da minha boca

o desejo de sentir-te perto,

meu corpo quente

como areia do deserto.

 

ai se tu me seguisses

como o sol que me ronda

fosses meu mar em tempestade

ou rio no mar a morrer

de saudade,

virias minha sede saciar

neste entardecer de outono

sem palavras

parados no tempo,

libertos

ao abandono.

 

 

romã

 

contador de visitas
publicado por natalia às 20:39

Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
14

18
21

22
24
25
26
27

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
favoritos

o afastamento...

blogs SAPO