meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

24
Set 15

 

mujer pensativa.JPG

 

minhas penas

minha alma as sente

contente ou descontente

sobeja apenas

este remar sem parança,

esta confusa lágrima

feita de água negra e dura

da saudade e ternura dum tempo breve

e feliz

tudo ficou para trás,

como um sonho que ocupa a distância

é agora apenas a luz entre a luz do caminho

essa infância...

a afastar-se e a levar-me ao esquecimento.

hoje, convertida noutro ser,

ainda me pergunto e lamento

se tudo tenho que esquecer!?

duvidoso labirinto onde tudo termina

minhas penas eu sinto

num silêncio opressor,

só o coração é refúgio onde

ainda há  amor,

que afoga a tristeza

e coloca ternura na minha ferida

memória...

 

natalia nuno

 

 

 

 

contador de visitas
publicado por natalia às 23:19

22
Set 15

11009091_545082918966615_4340232061237170929_n.jpg

 

destilam as horas

escuto o seu silêncio

já se anunciam as estrelas

murmura a noite e o vento

leva-me ao esquecimento

de mim...o relento

e a solidão cresce às primeiras sombras

e a vida que às vezes parece mansidão

noutro momento se emsombra

insegura, pergunto-me como será

quem fiel me recordará no tempo 

e a memória procura

na noite que se arrasta

a criança que em mim perdura

caindo cansada do tempo prisioneira,

e a noite cresce nos meus olhos

o sorriso ainda de murta e jasmim

e é essa a criança que habita em mim.

 

a menina que espanta o frio

que à minha vida chegou

espanta ventos e vazio

os rouxinóis acordou, em mim adormecidos.

 

contente, como só as crianças se atrevem

porque à vida nada pedem e

nada devem...

 

natalia nuno

 

 

 

contador de visitas
publicado por natalia às 22:26

18
Set 15

18.09.2015 - 1.jpg

 

Olho esta foto
e me vêem palavras de sol
ao poema, nasce vida no meu pensamento
tomo alento
nem tudo é feio como parece
elevo a asa da minha mão
e escrevo com o coração
aos versos desce,
desce a ternura cristalina
e pura...
acato o que o destino me destina
e o tempo me leva a outra luz
a vida emudece
minha asa é nostalgia
nela minha obscura bagagem
versos feitos a olhar a imagem
não há prodígio maior
que contemplar o amor.

natalia nuno

contador de visitas
publicado por natalia às 15:30

15
Set 15

gplus-469293964.jpg

 

 

com o rodar dos ponteiros dia e noite,

noite e dia vai-nos marcando a pele,

levou-nos da primavera o mel

e deixou-nos na selva da idade solitária,

com saudade...

fomo-nos habituando e convertendo

num frio de estátuas

e ante uma lágrima que nos afoga,

nos supomos sós e ignorados...

é o efeito do tempo que por nós passa

sem que demos por ele

amanhã mais uma ruga inscrita

mais uma ideia transviada

e a memória das palavras apagada.

 

natália nuno

contador de visitas
publicado por natalia às 20:07

11
Set 15

05.09.15 - 1.jpg

 

Celebra-se a chuva
agitam-se os ares
fica teu alento humedecido

teus passos seguros

se assim o desejares...

o pulsar do sol
faz parte do teu dia
e na tua essência de terra
íntima festa com a natureza,
assim tua vida seria...
ao despertar o alvor
um raminho de giesta
na almofada... com amor,
e o sopro da brisa ao ouvido
continuaria a festa

numa melodia alada,
e a felicidade tão livre

faria sentido...

natália nuno

contador de visitas
publicado por natalia às 22:58

Setembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
16
17
19

20
21
23
25
26

27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
favoritos

o afastamento...

blogs SAPO