meu pé de roseira, o bálsamo da minha solidão, meu coração à flor do peito, embriagada no ardor da Poesia, vou-me revelando e cumprindo a minha missão de ser Poeta. TODOS OS POEMAS REGISTADOS NO I.G.A.C.

27
Jun 14

15 - 1.png

 

quando nasci

nasci sem vontade

pois o tempo começava aí

a roubar-me a idade

começava o ano

fazia frio

lá ía nascendo com a força

do rio

gritando magoada

com a voz ferida

entre o céu e a terra

não querendo nascer

já meia perdida

estranho o dia cinzento

e eu sem tamanho

sem nome

sem saber quem era

resolvi não querer

voltar à terra

subi uns degraus

voltei a descer

e meu coração batia de medo

então pra nascer ainda era cedo

daí a saudade do lugar donde vim

aí não tinha idade

nem memória de mim

 

romã

contador de visitas
publicado por natalia às 16:52

26
Jun 14

15 - 1 (5) (1).jpg

 

os olhos em que ardia

e relampejava o amor

estão agora encovados

enegrecidos pela melancolia

a sua chuva é silenciosa

a sua luz escura

apenas obscuridade

onde só se lê saudade

 

em silêncio como as pedras

a voz, existe na mente apatia,

eu era aquele sol

e a vida aquela magia

hoje?! feneço como fenecem

as rosas, no devaneio

da solidão...

 

romã

contador de visitas
publicado por natalia às 22:46

23
Jun 14

mais um dia

sempre o mesmo

do começo ao fim,

ruidoso corrupio

sinto o desnorteio em mim

no sonho me refugio

 

deito um olhar derradeiro

ao rio e ao salgueiro

no vazio da madrugada

as aves livres no céu

cativo só o pensamento meu

 

apaixonadamente canto

ao romper da aurora

quando estou feliz

ou quando o coração chora

 

fantasio,

danço em campo de margaridas

me arrepio,

das rolas ouço o arrulhar

tornei-me louca

é nas lembranças que procuro

minha vida resgatar

 

romã

 

 

contador de visitas
publicado por natalia às 21:38

1aa.jpg

 

Meu amor subsiste eternamente

e basta-me ao coração

ama-te constantemente

de Deus tal sorte... gratidão

Fanático este amor por ti

amor de todos os tempos

quase cega idolatria

de contentamento me enche

vem de ti minha alegria

capricho e fantasia

 

não sei de mim

sem ti

dedico horas e todos intantes

acolhes-me em teu coração

somos eternos amantes...

 

romã

 

 

 

 

contador de visitas
publicado por natalia às 21:26

_DSC5216_00030627_03.jpg

 

estas palavras com que digo

o que sinto

são traços da alma a servir-me

de escudo

e me fazem sonhar,

confundem realidades

com visões, assim me iludo.

 

tão próprias para me animar

são fio que me prende à existência

as expressões que invento

os momentos que posso aspirar

ter riso nos lábios

o remédio e alento.

 

palavras são uma necessidade

são uma ânsia enexplicável

o vocabulário da minha poesia,

...pura utopia

 

romã

 

 

 

contador de visitas
publicado por natalia às 20:12

seja dado a cada um

o que é seu

a paz por direito

podia ser melhor...digo eu!?

Este mundo anda sem jeito.

 

romã

contador de visitas
publicado por natalia às 20:10

21
Jun 14

esta força que me sustenta

não me abandona,

ergue-me traz-me à tona

cansada ou não...

a saudade é sofrimento

mas também é vida

há necessidade de escrevê-la

de falar dela,

antes da partida...

sempre mais uma lembrança

no coração a pulsar

perdida...perdida

mas ele ainda goteja

apesar dos reveses da vida...

 

romã

 

 

contador de visitas
publicado por natalia às 19:16

20
Jun 14

_facebook_1423851596929.jpg

 

há um marulhar de sons

neste silêncio que me invade

agarro o momento

este, que é de saudade

passam as horas e penso

na idade distante donde venho

desse passado imenso

e sinto-me

a menina duma lenda

passeando os sonhos

salpicados de nostalgia

ah...ser menina de novo

como eu queria!

 

meu sonho é construído de betão

trago a saudade presa na mão

e uma luz nunca extinta...

no coração.

 

romã

 

 

contador de visitas
publicado por natalia às 20:11

19
Jun 14

 

7acce761465f31751633918ba5080dd9.jpg

 

não ando triste, nem sorridente

meu coração nem frio nem quente

 

olho de lado, olho de frente

não faço nada pra ser diferente

 

escrevo palavra que me dá asa

mesmo liberta, não saio de casa

 

vejo-me ao espelho, miro-me de perto

minha alma sofre o frio do deserto

 

é o destino que assim determina

trago-o comigo desde menina

 

trago o sonho à cabeceira

quero-o por perto a vida inteira

 

romã

 

 

 

contador de visitas
publicado por natalia às 22:31

10.03.15 - 1.jpg

 

desperto cedo com a aurora

aqui estou

em constante descida

barca que partirá na hora

na fria mudez

da partida.

 

a morte me prendeu

lutou comigo e venceu

 

romã

contador de visitas
publicado por natalia às 22:20

Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
14

17
18

22
24
25
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
favoritos

o afastamento...

blogs SAPO